Ten Arguments for Deleting Your Social Media Accounts Right Now

Category: Computer Science
Author: Jaron Lanier
4.0
This Month Reddit 2

Comments

by ImaCake   2020-10-15
Although one shouldn't need to read a book on quitting social media. They can be cathartic if written well. I am fan of this one [0]. A favourite quote of mine from it:

>Cats have done the seemingly impossible: They’ve integrated themselves into the modern high-tech world without giving themselves up. They are still in charge. There is no worry that some stealthy meme crafted by algorithms and paid for by a creepy, hidden oligarch has taken over your cat. No one has taken over your cat; not you, not anyone.

Your writing here is now in the quote collection along with a number of other HN comments over the years. Thanks for sharing your thoughts :)

0. https://www.amazon.com/Arguments-Deleting-Social-Media-Accou...

by Attackofthespacefish   2019-11-17

Algorithms reward negativity. Algorithms are designed to make you anxious and upset and keep you tethered to the Internet, so as to sell you more ads.

Read “10 Arguments for Deleting Your Social Media Accounts Right Now.”

I got rid of everything algorithm-based and I use duckduckgo as my search engine. I use reddit sparingly and check a few twitter star wars fans that I enjoy, but I no longer have a twitter, so the algorithm can’t affect me. I deleted my accounts for youtube and facebook. I have youtube set up to not track my search history for the occasions I do look something up.

I’ve gotten rid of (as much as I can) algorithm based media sites for a year and it’s made everything better.

https://www.amazon.com/Arguments-Deleting-Social-Media-Accounts/dp/125019668X

by Baldrs_Draumar   2019-11-17

I've read about 60 books so far this year. Though at least 50 of them were sci-fi novels, snack food not brain food. So the best book would have to be a tie between the following two on sort of the same topic. The first takes a more logical argumentative approach while the second (written by an MD.) takes a health and wellness approach.

>Ten Arguments For Deleting Your Social Media Accounts Right Now

by Jaron Lanier

and

>Offline: Free Your Mind from Smartphone and Social Media Stress

by Imran Rashid and Soren Kenner

by AnnCoultersAdamsAppl   2019-07-21

Didn’t know that was a thing. I won’t use any Facebook property unless I absolutely had to for work.

Lately, I’m siding with Jaron Lanier and stop using reddit, too.

Reddit and YouTube are the only social media services I currently use, and they’re not considered “traditional social media. “

I even quit using lots of other services and apps from Google like Search, Maps, and even Chrome in favor of open source browsers like FireFox, Chromium and pals. They’re all creepy as fuck.

Some hardcore Linux people think that using Chromium is lame because it’s an extension of an endorsement of Google’s negative influence on the web.

by williambotter   2019-07-21

Apesar das críticas às redes sociais e inclusive das campanhas midiáticas para abrir mão delas, poucos usuários tomam a decisão de apagar suas contas. O Twitter continua com seus 300 milhões de perfis, o Facebook tem mais de dois bilhões, e o Instagram segue crescendo e já passa dos 500 milhões.

Jaron Lanier, pioneiro da internet e da realidade virtual, considera que os benefícios destas redes não compensam os inconvenientes. E em seu último livro, Ten Arguments For Deleting Your Social Media Accounts (“dez argumentos para apagar as suas contas nas redes sociais”), dá motivos para largar o Twitter, o Facebook e inclusive o WhatsApp e os serviços do Google. Se pudermos. E mesmo que seja só por uma temporada. Estes são alguns dos motivos que ele propõe nesse texto escrito a modo de manifesto amável:

1. Você está perdendo sua liberdade. As redes sociais, em especial o Facebook, pretendem guardar registro de todas as nossas ações: o que compartilhamos, o que comentamos, o que curtimos, aonde vamos. “Agora todos somos animais de laboratório”, escreve Lanier, e participamos de uma experiência constante para que os anunciantes nos enviem suas mensagens quando estivermos mais suscetíveis a elas.

Isto também teve consequências políticas: os grupos que distribuem notícias falsas encontraram uma “interface desenhada para ajudar os anunciantes a alcançarem seu público objetivo com mensagens testadas para conseguir sua atenção”. Para o Facebook tanto faz se estes “anunciantes” são empresas que querem vender produtos, partidos políticos ou difusores de notícias falsas. O sistema é o mesmo para todos, e melhora “quando as pessoas estão irritadas, obcecadas e divididas”.

2. Estão lhe deixando infeliz. Lanier cita estudos que mostram que, apesar das possibilidades de conexão que as redes sociais oferecem, na verdade sofremos “uma sensação cada vez maior de isolamento” por motivos tão díspares como “os padrões irracionais de beleza e status, por exemplo, ou a vulnerabilidade aos trolls”.

Os algoritmos, escreve ele, nos colocam em categorias e nos ordenam segundo nossos amigos, seguidores, o número de curtidas ou retuítes, o muito ou pouco que publicamos… “De repente você e outras pessoas fazem parte de um monte de competições das quais não pediu para participar”. São critérios que nos parecem pouco significativos, mas que acabam tendo efeitos na vida real: “Nas notícias que vemos, em quem nos aparece como possível relacionamento amoroso, em que produtos nos oferecem”. Também podem acabar influenciando em futuros trabalhos: muitos dos responsáveis por recursos humanos procuram seus candidatos no Facebook e no Google.

Quanto aos trolls, Lanier adverte que “todos temos um troll dentro de nós”. No contexto das redes sociais, as opiniões se polarizam, e frequentemente as discussões não são oportunidades para dialogar, e sim para ganhar pontos à custa de expor os outros, numa espécie de antidialética da lacração. Lanier nos pergunta a respeito desse comportamento: “Você é tão amável como gostaria de ser?”.

      Jaron Lanier em uma imagem de 2014 Thomas Lohnes / Getty Images    

3. Estão enfraquecendo a verdade. Lanier lembra que as teorias da conspiração mais loucas (ele dá o exemplo dos antivacinas) frequentemente começam nas redes sociais, onde seu eco se amplifica, frequentemente com a ajuda de bots e “antes de aparecerem em veículos de comunicação extremamente partidários”. O próprio terraplanismo nasceu a partir de poucos grupos do Facebook, amplificados por um algoritmo que dava repercussão a essas publicações e compartilhavam mais por seu conteúdo disparatado do que por seu verdadeiro alcance.

4. Estão destruindo sua capacidade de empatia. Com esse argumento, Lanier se refere principalmente ao filtro bolha, termo criado por Eli Pariser. No Facebook, por exemplo, as notícias aparecem na tela de acordo com as pessoas e os veículos de comunicação que seguimos e, também, dependendo dos conteúdos de que gostamos. A consequência é que nas redes frequentemente acessamos somente nossa própria bolha, ou seja, tudo aquilo que conhecemos, com o que estamos de acordo e que nos faz sentir confortáveis.

Ou seja, não vemos outras ideias, recebemos somente suas caricaturas. E, consequentemente, em vez de tentar entender as razões por trás de outros pontos de vista, nossas ideias se reforçam e o diálogo é cada vez mais difícil.

5. Não querem que você tenha dignidade econômica. Lanier explica que o modelo de negócio que predomina na Internet é consequência do “dogma” de acreditar que “se o software não era grátis não podia ser aberto”. A publicidade foi vista como uma forma de solucionar esse problema.

Lanier propõe já desde livros anteriores como Who Owns the Future? (“Quem controla o futuro?) que existem outras alternativas, como pagar para usar serviços como o Google e o Facebook. Em troca, poderíamos receber alguma compensação de acordo com nossa contribuição, que pode ser de conteúdos aos dados que hoje damos de graça para que sejam vendidos em pacotes de publicidade.

Essas são somente algumas das razões expostas por Lanier em um livro que, como o próprio autor admite, nem mesmo chega a tocar alguns temas que não o afetam tão diretamente, como “as pressões insustentáveis em pessoas jovens, especialmente mulheres” e como “os algoritmos podem discriminá-lo por racismo e outras razões horríveis”.

Lanier não quer acabar com a Internet. Pelo contrário: deixar as redes, ainda que somente por um tempo, pode ser uma forma de saber como estão nos prejudicando e, principalmente, percebermos o que poderiam nos oferecer.

by AOrtega1   2019-07-21

Main thesis of this book: https://www.amazon.com/Arguments-Deleting-Social-Media-Accounts/dp/125019668X

(His animal analogies are ass though).

by ClintonHammond   2019-07-21

Nothing good happens on twitter

https://www.amazon.ca/Arguments-Deleting-Social-Media-Accounts/dp/125019668X

by ClintonHammond   2019-07-21

Nothing good ever happens on Twitter

https://www.amazon.ca/Arguments-Deleting-Social-Media-Accounts/dp/125019668X

by ClintonHammond   2019-07-21

Makes me happier and happier that I deleted twitter.

https://www.amazon.ca/Arguments-Deleting-Social-Media-Accounts/dp/125019668X

by ClintonHammond   2019-07-21

Jaron Lanier has the best solution

https://www.amazon.ca/Arguments-Deleting-Social-Media-Accounts/dp/125019668X

by ClintonHammond   2019-07-21

It's a good start

https://www.amazon.ca/Arguments-Deleting-Social-Media-Accounts/dp/125019668X

​

by ClintonHammond   2019-07-21

Jaron Lanier has the best solution.

https://www.amazon.ca/Arguments-Deleting-Social-Media-Accounts/dp/125019668X